Kissama-Kurica Safari Lodge Hotéis

Parque Nacional do Kissama, Luanda - Luanda
 09/04/2019
31 de Março 2017

O Kissama-Kurica Lodge é um festival de oportunidades perdidas. Sugerimos que a gerência aposte em ideias inovadoras para revitalizar este espaço promissor, localizado num dos parques mais lindos e diversificados do continente africano e a apenas 80 km de Luanda. 

Por Lula Ahrens

Classificado como Parque Nacional desde 1957, o Kissama perdeu praticamente toda a sua variadíssima fauna durante os anos de conflito armado em Angola. Em 1995, a Fundação Kissama, em parceria com o governo angolano, concebeu um projecto pioneiro conhecido como Operação Arca de Noé para repovoar o Parque com animais importados da África do Sul e Botsuana; entre 2000 e 2002, algumas dezenas de animais, incluindo elefantes, zebras, avestruzes, gnus e girafas, foram transportados de avião dos parques superlotados destes dois países para o Kissama.

A grande quantidade de crias que passeia pelo parque é uma prova viva do sucesso desta operação: os novos inquilinos já se procriam e a vida selvagem no Kissama está novamente a florescer.

O Lodge

O seu ponto de partida para ver e observar alguns dos mais elegantes animais do planeta e a grande variedade de fauna e flora existente no Parque Nacional do Kissama é o Kissama-Kurica Safari Lodge, localizado a cerca de 30 km da estrada que liga Luanda às praias de Cabo Ledo e Sangano.

Situado no topo do morro, o Kurica tem vistas espectaculares sobre o Parque e o Rio Kwanza; é possível ver, à distância de mais de 100 km, o novo aeroporto internacional de Luanda.

O pacote de estadia de uma noite inclui a viagem de barco pelo Kwanza, um safari pelo parque, jantar e pequeno almoço. O Kurica tem um restaurante, um terraço amplo, um colorido parque infantil para as crianças, uma piscina e uma mesa de bilhar artesanal.

Na sexta em que chegamos ao Lodge, éramos os únicos clientes. A nossa primeira fonte de entretenimento foram os macacos traquinos que pareciam dar-nos as boas vindas. Uma das fêmeas trazia consigo um macaco bebê, oferecendo-nos logo uma excelente oportunidade para tirarmos inúmeras fotos. Contudo, a sensação geral ao chegamos ao Lodge foi uma de abandono: o local não tem vegetação, a iluminação à noite é precária e a motivação dos funcionários é quase inexistente.

O número de visitantes ao Kurica está no seu ponto mais baixo; a desculpa que nos deram foi a crise. Nos dias de semana, o Lodge está quase sempre vazio; aos sábados e em fins de semana prolongados vêm alguns expatriados e, ocasionalmente, angolanos. Ficamos a debater entre nós se o elevado custo da estadia – 58.000 AKZ por casal, por noite – não contribui também para a fraca aderência ao Lodge.

Os Bungalows

O Kurica é composto por bungalows de madeira com pequenos pátios e bungalows brancos de pedra. Os bungalows de madeira têm duas camas separadas e são minimamente espaçosos, enquanto que os bungalows de pedra são mais pequenos, têm uma cama de casal e uma vibe um pouco mais romântica.

As camas e as almofadas são mesmo básicas. Os lençóis normalmente estão limpos, mas os bungalows não têm cobertores. Traga o seu de casa, principalmente nos meses de cacimbo (Junho – Agosto).

Devido à pouquíssima pressão da água, a palavra “banho” aqui tem outro significado. Vá com isso em mente: o fio d’água é mesmo fraco. Traga o seu próprio gel de banho. Se quiser ir ao restaurante à noite, traga também uma lanterna.

Existe uma grande probabilidade da pequena televisão flat-screen do seu quarto não funcionar. A mesma probabilidade estende-se também ao pequeno frigorífico. Do lado positivo, os bungalows de madeira têm excelentes aparelhos de ar-condicionado, uma benção nestes meses quentes do verão angolano.

Os Safaris

Depois da chegada, uma viagem de barco pelo Rio Kwanza ao fim da tarde oferece-nos a oportunidade de vermos alguns répteis. Uma das melhores vistas que apreciamos foi mesmo no local de embarque, na margem do rio. Vai ter de descobrir como chegar até lá; leve também uma garrafa de espumante ou algo parecido. É um local perfeito para um copo.

O safari terrestre começa às 6 da manhã do dia seguinte e dura entre duas a três horas. O nosso guia apareceu 45 minutos atrasado. Contudo, conseguimos ver uma boa variedade de animais, incluindo kudus, girafas, famílias inteiras de zebras e elefantes, e alguns antílopes.

O Restaurante

Rapidamente vai perceber que a comida não é um dos pontos fortes do Kissama-Kurica Lodge. O restaurante não tem menu. O cliente tem três escolhas: bife, frango ou peixe com arroz, batata frita e salada. Para beber, existe uma pequena “garrafeira” com cerca de 10 vinhos tintos portugueses; alternativamente pode beber um gin tónico. O almoço não está incluído no pacote, mas pode ser solicitado por 4.000 AKZ.

Para os que apreciam a simplicidade, o jantar no Kurica Lodge é agradável e a comida até é saborosa. O nosso churrasco, servido com molho de tomate, estava bem temperado, e o nosso pedido especial, funge, foi aceite. O restaurante tem uma decoração aconchegante, com mesas de madeira, máscaras nas paredes e toalhas de mesa coloridas.

O pequeno-almoço é servido num lindo terraço coberto na parte de fora do restaurante, com uma vista maravilhosa do Parque. Todos são servidos a mesma refeição: um ovo estrelado (o nosso veio frio), duas salsichas pequenas, pão, manteiga, chá ou café. Os talheres e os copos de chá e café encontravam-se sujos. Não espere uma reação dos funcionários quando mencionar este lapso.

O atendimento no Kissama-Kurica Safari Lodge é sincero e cru. Esta é uma forma bonita de dizer que de tão amador, chega a ser constrangedor.

O veredito do LNL

Esplêndido e deslumbrante, o Parque Nacional do Kissama oferece-nos uma experiência memorável e especial. E fica a escassas duas horas de carro da capital. Contudo, os angolanos não parecem muito interessados em lá ir. E depois de uma visita, até os expatriados que cá vivem preferem visitar outros lugares, nem que estejam a distâncias de mais de 8 horas de carro.

Porquê? O nosso veredito é que o Kissama-Kurica Lodge oferece uma abundância de vida animal silvestre e todas comodidades básicas, mas recusa-se a fazer o esforço adicional necessário para que as pessoas que lá se deslocam sintam-se realmente à vontade. Cobrar 58.000 AKZ para um safari com tudo incluído é razoável, mas é muito difícil justificar este preço quando o atendimento, a manutenção, o conforto e a qualidade da cozinha são praticamente inexistentes.

Imaginamos que uma pessoa bem formada, conhecedora das virtudes do Kissama e entusiástica sobre o seu trabalho, nos receberia no embarcadouro do Rio Kwanza com um copo de sumo ou talvez um cocktail antes de embarcamos no nosso passeio. Imaginamos tomarmos um duche como deve ser após o nosso regresso do passeio, com artigos de higiene pessoal e roupões fornecidos pelo Lodge.

Imaginamos um jantar a la carte, seguido por um copo de vinho a volta de uma fogueira mantida pelo parque para o prazer dos hóspedes, com o romanticismo e a beleza do parque subtilmente iluminadas pelas chamas. Imaginamos o terreno do Lodge coberto de relva, flores e plantas.

Imaginamos pão quentinho ao pequeno-almoço e uma escolha entre ovos mexidos, estrelados, ou escalfados, café em condições e se calhar até alguma fruta com iogurte.

Imaginamos que encontraríamos um lodge que valia a pena visitar mesmo sem a beleza do parque que o rodeia.

O Kissama-Kurica Safari Lodge, tal como o próprio Parque Nacional do Kissama, tem o potencial de ser uma das maiores atrações turísticas internacionais deste país. O LNL sugere que a gerência contrate um expert que perceba de hotelaria para dar a este lodge o protagonismo que ela merece.

Características

  • Animais selvagens
  • Tem Piscina
  • Visita guiada

Cozinhas

  • Angolana

Preços

  • Consultar Resort

    KZ 0,00

Localização

Comentários (0)

Novo Comentário

Horários

  • Monday 6 AM - 6 PM
  • Tuesday 6 AM - 6 PM
  • Wednesday 6 AM - 6 PM
  • Thursday 6 AM - 6 PM
  • Friday 6 AM - 6 PM
  • Saturday 6 AM - 6 PM
  • Sunday 6 AM - 6 PM
0 pessoas marcaram este sítio