O 7° Jantar Nómada by LNL: Nikki's House Restaurantes

Nikki's House, Alvalade, Luanda - Luanda
 06/01/2020

Parece estarmos numa onda revivalista trazendo para as luzes da ribalta os esquecidos. Assim é com este, que é também considerado por muitos, como o mais bonito de Luanda.

Este restaurante nasce também como um tributo à filha da mentora e também Chef deste restaurante: Madalena Hossi. Usou o nome pelo qual tratava a filha e que ela sempre dizia que a mãe deveria usar se alguma vez abrisse um bar ou um restaurante.

Dada a evolução da economia nos últimos anos, este restaurante cada vez mais deve ser encarado como uma casa, uma casa de requinte onde a dona e cozinheira faz questão de nos receber e acomodar, como se em nossa casa estivéssemos. Foi o que sucedeu neste jantar, onde todos se sentiram tão bem que os últimos convivas só saíram de lá bem depois da meia-noite.

Vamos agora reviver os diversos momentos por que passamos naquele que foi o último Jantar Nómada do ano:

A entrada começou com um muito agradável e pouco visto por estas bandas um Carpaccio de Magret de Pato com Chutney de Maçã que ligou muito bem com um dos melhores espumantes rosés no mercado o Cartuxa Rosé 2013, obtido à custa da Touriga Nacional, que com uma acidez e uma mousse um pouco agressiva acaba por lhe conferir uma vivacidade e uma persistência bem acima do normal. Deve ser servido em copos de vinho branco ou de tinto tipo bordéus.

O prato de peixe foi sendo definido na conversa prévia entre o sommelier e a alma desta casa, a Madalena, que estava com algum receio em servir este delicioso peixe por ser muito depreciado em Luanda. O Hildérico disse-lhe que tinha tido já algumas belas experiências com esse peixe e que poderia avançar sem medos desde que garantisse que o peixe não era cozinhado em demasia, pois aí ficaria a parecer atum em lata. Não vamos esconder que ficamos com alguma apreensão, não por causa do peixe, nem por termos dúvidas acerca da qualidade das cozinheiras, mas por ter de ser cozinhado para tanta gente e nestes casos, acontece por vezes perder-se o ponto certo de cozedura… Não foi nada disso que aconteceu e a Tranche de Piazete com Crosta de Ervas e Laranja com Puré de Batata e Ovas de Cherne estava para lá de deliciosa, onde o puré veio trazer uma leveza absolutamente fantástica e permitiu uma bela harmonização com um vinho que graças a castas aromáticas, muito mais expressivo do que era no passado. Vinho Branco Vallado 2017. Foi muito apreciado e depressa esgotaram o stock…

Para o momento seguinte, onde os sólidos se traduziram por Medalhão de Boi com Foie Gras e Cuscuz com Ginguba Torrada e camarão e os líquidos deram origem a uma luta franco-portuguesa tendo como concorrentes o tinto alentejano Herdade do Sobroso - Celar Selection – 2015 e o tinto do Vale do Loire Domaine des Rochelles – Lebreton – Anjou-Villages Brissac 2015. A vitória desta feita foi para o português não tendo no entanto sido uma vitória por Knock Out. Houve quem preferisse as notas mais agrestes das Cabernet ao aveludado típico dos alentejanos.

Para o final veio um magnífico Crème Brulêe com Gelado de Gengibre que fez esquecer a troca que fizeram ao não trazerem o prometido Espumante Martini Asti Rosé e sim o sempre agradável e suave Espumante Martini Brut.

Para acompanhar o café tivemos, desta feita, a sorte da companhia do embaixador da Martell, um muito conhecido produtor de aguardente vínica, que por sinal o faz na região de Cognac e pode por isso ser designado por Cognac Martell. Nós tivemos a oportunidade de beber o VS e algumas privilegiadas (algumas vantagens existem por se viver num mundo machista!) tiveram ainda o extra de beber um cocktail feito com este mui agradável cognac. Uma forma muito agradável de terminar uma refeição, apesar de algumas dores de cabeça para alguns no dia seguinte e temos pois de agradecer ao Valdemar Correia toda a sua simpatia e conhecimento na apresentação das bebidas.

Um agradecimento extra à nossa generosa anfitriã, Madalena Hossi, que fez um belíssimo trabalho a todos os níveis e não podemos pois perder este restaurante de forma nenhuma. Com uma pequena ajudinha de todos podemos consegui-lo. Lembrem-se dele quando forem jantar à 5ª ou 6ª-feira, atualmente apenas os dias em que abre garantidamente, havendo no entanto disponibilidade para abrir noutros dias com marcações de grupos. Em breve faremos lá uns jantares intimistas tendo a simpática e requintada Madalena como anfitriã… Esperem e suspirem…

NOTA: Estes artigos serão escritos a quatro mãos de forma a transmitirmos as várias sensibilidades colhidas durante o evento. Alguma incoerência pode pois aparecer na apreciação de algumas situações.

Sobre os Jantares Nómadas by LNL: Esta iniciativa é uma colaboração entre o LNL e o Clube Nómada, do conhecido escanção Hildérico Coutinho, onde saem todos a ganhar: o LNL escolhe o restaurante, o chef escolhe os pratos, o Clube Nómada escolhe os vinhos e você, leitor, usufrui! Como funciona: durante o jantar é servido um menu de degustação de 4 pratos; cada prato é harmonizado com um vinho diferente. Pelo caminho há sempre algumas supresas...

Características

  • Evento profissional
  • Eventos
  • Experiência Premium
  • Jantar romântico
  • Ocasiões especiais
  • Preferido do LNL
  • Vinho a copo

Cozinhas

  • Fusão

Localização

Comentários (0)

Novo Comentário

0 pessoas marcaram este sítio