O 2° Jantar Nómada by LNL: Restaurante K-Paz Flor Restaurantes

K Paz Flor, Morro Bento, Luanda - Luanda
 26/06/2019

Como prometido, foi mesmo no K – Paz Flor sob a batuta do Chef Kay Ellmer que realizamos a nossa segunda paragem neste nosso périplo pelos melhores locais de Luanda.

O espaço e a paisagem exterior deste restaurante é do melhor que se pode encontrar em Luanda e ainda detém uma sala mais reservada, no primeiro andar, onde nos pudemos instalar para estar mais à vontade e onde a comunicação ficou facilitada. Isso também aconteceu por termos tido um grupo que, sem exceção notada, se mostrou interessadíssimo em todas as explicações.

O evento começou recebendo os convidados, não com um flute de espumante Cartuxa Rosé (2013), mas com um copo de vinho tinto tipo Bordéus com a referida bebida. Isto não se deveu a uma falha do restaurante mas a uma opção nossa pois consideramos esse o copo mais apropriado para este belo espumante da Fundação Eugénio de Almeida, oriundo de terras tão quentes que se pensava não poderem dar origem a bons espumantes onde a frescura, proporcionada pela acidez, é absolutamente necessária. Pois este vinho tem isso e muito mais, tem notas a frutos vermelhos não muito doces, como a ginja ou o morango e se alguma coisa haveria a corrigir seria a intensidade da mousse e daí a utilização desse copo um pouco mais largo que o habitualmente aconselhado.

O vinho acompanhou bem não só o couvert surpresa baseado numa mousse de queijo da serra temperado com orégãos como encaixou na perfeição na Mousse de Beterraba com Bacon estaladiço e Mil-Folhas de Canela. A mousse estava fantástica em todos os aspetos, da textura ao sabor, da leveza à intensidade. Bela surpresa!

O prato seguinte, Atum braseado com Sementes de Girassol e Saladinha de Ervas aromáticas e Pesto de Manjericão também se apresentou num nível muito alto, tendo sido o preferido de uma grande parte dos comensais. A intensidade da salada ajudou e muito a encaixar os sabores do atum com suas sementes aquecidas. Para o acompanhar escolhemos o Oboé Vinhas Velhas Branco de 2015, um vinho untuoso de vinhas velhas de Tabuaço, nas terras altas do Douro, que ainda assim precisariam ser bem mais altas neste caso. A acidez estava um pouco aquém da necessária para tornar este vinho mais largo na boca, pois o resto, os sabores a frutas brancas e amarelas de caroço assim como as texturas adequadas, estavam lá.

O Dona Ermelinda Reserva Tinto 2015 não foi a escolha mais acertada para o pato, foi o melhor possível. O ideal seria um Pinot Noir, que com a sua leveza e acidez teria um encaixe perfeito na delicada carne do peito de pato. Ainda assim, este vinho mostrou ser bem mais complexo que o esperado, pois além do Castelão, a base deste vinho que apresenta sempre umas notas a terra húmida, frutas negras, licourice e como bem definiu um participante, o alcaçuz, apresentou também um vigor e uns taninos mais firmes que o normal nos vinhos daquela zona e isso em muito se deverá à presença da casta rainha dos tintos, a Cabernet Sauvignon. A provar sem complexos.

 O Magret de Pato perfumado com Sal de Trufas, Molho de Rosas, Chucrute à là creme e Bolacha de Batata-doce apresentou um chucrute trabalhado com natas para lhe diminuir a acidez típica da couve fermentada com vinho. A bolacha de batata-doce só pecava no tamanho, estava tão boa que seria capaz de comer umas três.

Na sobremesa tivemos um pequeno percalço nos timings de serviço do vinho que originou um atraso no serviço do prato e quem pagou foi o fondant que estava um pouco mais cozido que o desejável. No entanto houve quem não resistisse a uma segunda dose do Petit Gateau de Leite Condensado com Compota de Maracujá assim como do vinho que o acompanhou, o Moscatel de Setúbal da Casa Ermelinda Freitas, elaborado com o tradicional Moscatel de Setúbal, ou se quisermos o Moscatel de Alexandria, que dá origem a um dos mais emblemáticos vinhos fortificados de Portugal, para redescobrir com urgência...

NOTA: Estes artigos serão escritos a quatro mãos de forma a transmitirmos as várias sensibilidades colhidas durante o evento. Alguma incoerência pode pois aparecer na apreciação de algumas situações.

Sobre os Jantares Nómadas by LNL: É uma nova colaboração entre o LNL e o Clube Nómada, do conhecido escanção Hildérico Coutinho, onde saem todos a ganhar: o LNL escolhe o restaurante, o chef escolhe os pratos, o Clube Nómada escolhe os vinhos e você, leitor, usufrui! Como funciona: durante o jantar é servido um menu de degustação de 4 pratos; cada prato é harmonizado com um vinho diferente. Pelo caminho há sempre algumas supresas...

O próximo Jantar Nómada by LNL é no dia 11 de Julho, no Vitrúvio

Características

  • Evento profissional
  • Eventos
  • Experiência Premium
  • Vinho a copo

Cozinhas

  • Fusão

Localização

Comentários (0)

Novo Comentário

Contactos

0 pessoas marcaram este sítio